Mudando para Estônia - Pt III

abidibidebob

Texto revisado pela minha irmã Thamiris. Valeu pela revisão incrível! ❤️ ❤️ ❤️ ❤️

Olá, galera! Novamente estou aqui contando um pouco mais sobre como está sendo a minha mudança e o meu processo de adaptação na Estônia. E claro, deixar algumas dicas para novos brasileiros e brasileiras que porventura podem acabar vindo morar aqui também.

Sem mais delongas, vamos lá!

Personal code

A primeira coisa que você tem que fazer ao chegar na Estônia a trabalho, estudo ou para morar com sua parceira ou parceiro é ter o seu número de registro. É basicamente um “RG”, mas você não ganha nenhum documento físico, apenas um papel sulfite impresso com seu número. Esse número vai servir para quase tudo que você for fazer enquanto morar na Estônia. Você precisará desses documentos para obter o seu número de registro:

Tendo esses documentos em mãos é só comparecer pessoalmente ao estabelecimento do governo, localizado no endereço Roosikrantsi,12 Tallinn, não precisa agendar a visita. Às vezes, no mesmo dia você pode conseguir seu código, mas no meu caso eu tive que retornar no dia seguinte. Para maiores detalhes ou informações atualizadas, sempre consulte os dados oficiais e atualizados do governo.

Permissão de residência

Parar morar na Estônia a trabalho ou para acompanhar sua parceira ou parceiro você precisa de uma permissão de residência. Essa permissão irá te fornecer um ID-Card que automaticamente funciona como um visto, ou seja, você não precisa de visto se tem a permissão de residência. Para ter sua permissão você vai precisar:

  • Seu código de registro (Personal Code);
  • Uma empresa te patrocinando se estiver indo a trabalho, neste caso eles já fizeram todo o registro com o governo, você não precisa fazer nada;
  • Para acompanhar sua esposa ou marido, você precisa de uma carta dele ou dela dizendo que irá patrocinar sua estadia e o extrato bancário para comprovar renda;
  • Preencher um formulário com suas informações;
  • Preencher um formulário com informações dos seus familiares;
  • Seu passaporte;
  • Leve também seu contrato de aluguel comprovando sua residência;
  • Uma foto que será feita no local, então chegue um pouco antes;
  • Pagar uma taxa de cerca de 96 uniões europeias

Com esses documentos em mãos, você precisa ir até a polícia de fronteira no endereço: A. H. Tammsaare tee 47, Tallinn, mas antes de ir lá, você precisa agendar um horário através desse formulário. Para permissão de residência escolha a opção “4. Applying for or extending a residence permit”. É muito tentador clicar na primeira opção, mas não é a opção correta, você deve escolher a quarta opção. Eu já errei e tive que ir duas vezes nesse local.

No dia em que você for fazer sua aplicação, eles irão avaliar seus documentos e estando tudo certo, é só aguardar cerca de 3 meses que você terá sua permissão de residência junto com seu ID-Card. Com o ID-Card em mãos, tudo ficará mais fácil para você na Estônia e para viajar pela Europa. Não esqueça de sempre consultar as informações oficiais e atualizadas da polícia.

Inverno

Chega de falar de documentação, vamos para a experiência de viver em um inverno bem delimitado com neve e tudo mais. É FRIO! Muito frio. O frio pode chegar até -20ºC ou -25ºC. Para poder andar na rua com esse frio todo, essas eram as roupas que eu usava nos frios mais intensos:

  • “Segunda pele”, é uma roupa bem justinha que vai direto na pele para manter o calor corporal. Muito fácil de encontrar em lojas de esportes, principalmente na loja Sportland. Eu costumo ir na versão outlet da loja;
  • Calça jeans normal;
  • Bota a prova d’água. É muito importante ter um sapato, tênis ou bota a prova desse tipo ou sua meia irá molhar por causa da neve;
  • Camisa;
  • Blusa;
  • Jaqueta a prova d’água, corta vento e grossa. Eu tenho um sobretudo assim que comprei na Outlet da Sportland, quando eu uso essa jaqueta é outro nível de proteção do frio intenso. Uma boa jaqueta dessa você não encontra por menos de 100 euros, então prepare o bolso
  • Vitamina D. Achei que era brincadeira, mas no inverno mais intenso, a falta de luz e frio me fez ficar com disposição gigante. Ao começar tomar um suplemento de vitamina D meu ânimo voltou.

Algumas fotos que achei legal dessa época:

inverno_01

inverno_02

inverno_03

inverno_04

inverno_05

Com a roupa adequada, o frio e a neve tornam-se toleráveis. O engraçado é que o frio da Estônia nem é tão bravo se comparado com o da Finlândia ou com o Canadá mas é uma grande diferença para nós que somos brasileiros.

Viagens

Estou impressionado com o quanto ficou mais acessível viajar.

Além das férias flexíveis da empresa, na qual você pode retirar em poucos e poucos dias, os meios de transporte são bem variados; tem cruzeiros, ônibus, trens e aviões por preços bem em conta. Por exemplo, eu e minha esposa fomos passar o final de semana na Finlândia por 20 euros ida e volta de barco.

Teve uma outra viagem que fizemos de trem para Tartu, uma cidade universitária que fica em outro estado, por 20 euros ida e volta, imagine uma distância de São Paulo até Rio de Janeiro em duas horas por um preço bem acessível. Para complementar, ainda teve uma viagem para Estocolmo na Suécia que fizemos de avião por apenas 30 uniões europeias ida e volta. Ainda queremos pegar um ônibus para São Petersburgo na Rússia, o preço não varia tanto assim.

Para preços baixos assim, existem fatores: sorte de pegar uma promoção boa e/ou época do ano. Mas, em geral, eu sinto que tenho mais tempo e mais dinheiro para viajar. Fico imaginando se eu conheceria melhor o Brasil se as viagens fossem mais rápidas e os preços ficassem abaixo de 200 taoqueis.

Enfim, vou encerrando por aqui. Espero que tenham gostado do depoimento e fiquem ligados, em breve trarei mais informações sobre como usar o ID-Card e como receber seu direito de transporte gratuito em Tallinn, e também, sobre como foi viver a primavera aqui.